sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Québec é uma graça!

No Vieux Québec

Que cidade lindinha! Me surpreendeu totalmente! Québec é uma cidade grande sem os problemas de uma cidade grande. O que mais me impressionou foi a limpeza e a tranquilidade do trânsito. Confesso que ficava um pouco sem paciência ao ter que esperar longos minutos para o sinal abrir para o pedestre - que pode ser multado se atravessar fora da faixa ou na hora errada. Parecia filme. Olhava para um lado, nada de carro. Olhava para o outro, nada de carro. Nem de longe. E o sinal fechado pra mim. E eu com aquela vontade louca de atravessar... Algumas vezes não esperamos não. Mas ninguém veio  nos multar.

***



Não sei como é a cidade nas outras estações, mas no outono ela tem um colorido lindo!

***
Não vi nenhum mendigo, nem pessoas pedindo dinheiro na rua. E mesmo nas áreas mais movimentadas, com mais turistas, me senti muito segura. E vi poucos policiais nas ruas.

***

No próximo post, alguns pontos turísticos!



E outubrão chegou!

Na verdade as férias já estão no meio do caminho, mas só agora consegui parar para descrever essas duas primeiras semanas! Em resumo: meus cunhados foram morar no Québec, Canadá, e pouco mais de três meses depois de instalados, lá fomos nós visitá-los (perturbá-los) e conhecer a cidade. Ficamos 5 dias lá. Aproveitamos e passamos um fim de semana em Montréal, ainda na companhia deles, e mais uma semana (só nós dois) em NY.

***

Primeiramente, foi uma saga chegar em Québec. Nessa de economizar dinheiro e já que íamos ficar em NY na última semana, escolhemos um voo Rio - NY - Rio. Chegamos num domingo de manhã em NY, fizemos a imigração, pegamos a bagagem, e, lá pelas 11h, fizemos check in para um voo NY-Washington (conexão) -Québec que deveria sair às 14h30. Despachamos a mala, comemos e fomos pra sala de embarque. Lá pelas 13h, o monitor mostrou que nosso voo ia sair atrasado. Como a gente ainda ia esperar algumas horas em Washington até o avião sair pro Québec, o atraso nem ia ser um problema. Fomos dar uma volta. E aí, o monitor avisou uma nova mudança. Dessa vez, perderíamos a conexão. Fomos de novo por portão de embarque atrás de alguém da companhia (United) para ver o que era possível fazer.

Devo dizer que fomos super bem atendidos. As duas pessoas que estavam no balcão mal acabaram de ouvir o que eu disse e já começaram a teclar em busca de um outro voo para nós. Resultado: nos pagaram um táxi para Newark (estávamos no JFK) e nos colocaram num voo direto para o Québec, saindo de lá às 21h40 (ou algo assim, já não me lembro dos detalhes de horário). Ainda nos deram vouchers para alimentação. 

Pegamos nossa mala (eles pediram para voltar com ela) e lá fomos nós. O taxista paquistanês foi puxando papo no caminho e nos levou até Nova Jersey. Lá, fizemos o check in de novo, sem problemas, e esperamos mais um tempo para o voo. Outro capítulo!

***

Pensei que fosse morrer! De verdade. A viagem é relativamente rápida. Um pouco mais do que Rio-São Paulo. Mas fui orando praticamente o caminho inteiro. O avião era micro, daqueles que tem um fileira de cadeira única e outra de duas cadeiras. E ele rangia e tremia o tempo TODO. Pegamos uma chuva forte e muito vento. E todas as pessoas por perto pareciam nem se importar. Talvez isso seja normal nesse trajeto. 
Ainda bem que chegamos bem! Depois de 24 horas viajando (entre voos e esperas) finalmente vimos Vini e Paty. E conhecemos um amigo deles, o Danilo, que nos deu carona para a casa deles. 

***

Detalhe curioso: na imigração eles perguntam se estamos levando algum tipo de alimento para os amigos ou familiares (isso no caso de você dizer que está indo ficar na casa de amigos ou familiares). Aí você pensa nos itens que costumam ser proibidos como queijos, presuntos e etc... Quando você passa para a sala de restituição de bagagem é que você entende a que eles estão se referindo. Lá tem uma vitrine com os produtos proibidos: leite condensado, preparado para fazer pão de queijo... e coisas do tipo. Tudo o que os brasileiros que moram lá devem sentir falta! 

***

E por falar nisso, os brasileiros que conhecemos lá contaram que tem uma loja especializada em produtos brasileiros - que deve cobrar caro - e que o item mais aguardado do momento é o requeijão!
:-P

***

Nos próximos posts, algumas fotos, ok?





segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Preciso de férias!

Depois de dois meses editando o site do Rio Gastronomia e organizando a cobertura dos 11 dias do evento, estou mortinha e precisando muito de férias. Para aliviar, 4 folgas e um fim de semana! Depois, só em outubro!!! Outubrão!

domingo, 17 de junho de 2012

Fim de semana em Paraty

Férias mesmo, só em outubro. Então, para dar uma relaxada, passamos o fim de semana em Paraty. Há sete anos estive lá com minha amiga Adriana. Repetimos a dose, agora, com nossos respectivos. Foi ótimo. Ô lugar lindinho. Nos hospedamos na Pousada Arte Colonial, uma graça, e fomos super bem atendidos.

Chegamos no sábado por volta de meio-dia e fomos recebidos com sol e céu azul. Caminhamos bastante, entramos e saímos de lojinhas, tiramos fotos, batemos papo... Do almoço, não queremos lembrar muito. Só podemos dizer: evitem o Bem Brasil. Pra começar, música ao vivo de má qualidade. E depois de muito tempo esperando os pratos, soubemos que nossa comanda havia sido perdida e nada estava sendo preparado. Além disso, as porções eram muito pequenas e o sabor não valeu a espera. Enfim... pelo menos nos deram um desconto pelo transtorno.








A compensação mesmo viria à noite! Jantamos na Casa Coupé e fomos muito felizes. Tanto, que voltamos no domingo para o almoço de despedida. Tudo uma delícia, atendimento nota 10, decoração fofa.

Além de comer, caminhamos... mas num ritmo completamente diferente do que o de costume - até imposto pelo calçamento de pé-de-moleque - e isso valeu muito a pena. De uma certa forma, é uma maneira de desacelerar um pouco a cabeça também.

Mais uma vez, voltei encantada com Paraty!






No banquinho da praça!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Dia da partida, mas com estilo

Desistimos de fazer algo correndo de manhã, antes do check out, que seria às 12h. Preferimos dormir até mais tarde, uma vez que provavelmente não dormiríamos bem no avião. Muito bem. Nos aprontamos, pegamos as malas e saímos.

***

Na recepção, já estava pronta para pedir um desconto no valor total uma vez que, mesmo tendo pedido umas três ou quatro vezes, não tivemos um frigobar no quarto mesmo. Mas nem precisei. A moça perguntou se tínhamos recebido um e dissemos que não. Aí, ela disse que já que foi assim não ia nos cobrar a internet! Uhulll!!

***
Minha pose de rica

Pena que ficou contraluz!


Na portaria do hotel, o door man pergunta se queremos transporte para o aeroporto. Eu digo que gostaríamos de um táxi e ele aponta para um carro d hotel grande, preto, dizendo que por US$ 65 o motorista nos leva. Como o táxi dá mais ou menos isso, aceitamos. Colocaram as malas no porta-malas, entramos, e quando o motorista liga o carro. Nada. Sem bateria! Ele nos pede desculpas constrangido, sai do carro, abre o capô, fala com o door man, que vem, abre o porta-mala, tira nossas malas e diz: "pra não atrasar vocês, vamos colocá-los no carro da frente". Quando eu olho: uma limosine branca! Olhei pro Panderkats assustada! My God! Saímos do carro rindo de nervoso. Perguntei pro cara se ele tinha certeza. E ele disse que sim. Eu perguntei se seria o mesmo preço, e ele respondeu que sim de novo. Então, tá! Lá fomos nós de limo para o JFK. O resultado tá aqui:


Olha as caras dos malucos

video
Esse vídeo é pra vc que achou que a gente pediu pra tirar foto em alguma limosine por aí só pra tirar onda!
hahahahaha!

A confusão do St. Patrick's day




Sábado de sol. Um belo dia para ir passear no Central Park, certo? Errado, se este dia é 17 de março em um país em que se comemora o St. Patrick's day. As ruas estavam tomadas por pessoas vestidas com roupas e acessórios verdes. Parecia um carnaval monocromático. Quando vimos que o passeio no parque estava comprometido, uma vez que a cidade inteira parecia se dirigir para lá, decidimos dar um pulo na Apple na 5a Avenida e procurar o pedido do meu chefe. Quanto mais nos aproximávamos da avenida, mais lotada ela ficava. Notamos que havia barreiras e que as pessoas se aglomeravam para ver algo. Era um desfile em celebração da Irlanda. Andamos mais umas ruas e a situação só piorava. Desistimos! Meu chefe ficou sem a encomenda dele (foi mal!) e nós, depois de tanto andar fujindo da multidão, resolvemos comprar víveres e seguir para o hotel, com o objetivo de descobrir que horas a cidade voltaria ao normal.


***

Descobrimos que o desfile acabava por volta das 15h - 16h e que ruas estariam interditadas. E fomos passear por outras bandas. Aproveitamos para fazer as últimas compras!

***

No fim do dia, ainda passamos para ver a patinação no gela no Rockfeller Center.

***

E voltamos para o hotel nos despedindo da cidade que nunca dorme! Hora de fazer as malas!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Desacelerando com um musical rock and roll

Como estamos muito cansados da correria da semana, decidimos que a sexta seria um dia mais tranquilo. Acordamos mais tarde, tomamos café tranquilamente e caminhamos mais lentamente pelas ruas. Demos um pulo no Gershwin Theater para ver se ainda havia ingressos para Wicked. Para sexta, só os mais caros estavam disponíveis - acima de US$ 200. Também havia para a apresentação de sábado, às 14h, mas os preços não eram muito melhores: US$ 150. Um só! Imaginem! Desistimos.

***

Fomos bater perna light e depois fomos pra fila do TKTS, que vende ingressos pra alguns musicais com descontos de 20% a 50%. Um frio!! Lá ficamos os dois por um hora e meia. Observamos o pessoal, ouvimos pedaços de conversas... essas coisas. Mas quando os guichês abriram, foi rapidinho. Nossa primeira opção era Chicago. Mas o preço não estava tão bom, apesar do desconto. Então, fomos de segunda opção: Jesus Christ Superstar.



***

Como fazia 7 graus na rua e estávamos há muito tempo parados ao ar livre, e não havia lugar em nenhuma lanchonete para sentar, compramos comidinha e fomos almoçar às 16h no quarto do hotel mesmo, aproveitando quentinho. Foi bom que deixamos umas sacolinhas por lá antes de partir pra mais uma caminhada light para fazer hora para o musical.

***

Jesus Christ Superstar foi ótimo! É uma nova produção de um antigo musical. Essa agradou mais seu criador Andrew Loyd Weber. Nossos lugares eram ótimos, na plateia, super perto do palco, mas não tão colado. Os cantores são sensacionais e o estilo rock and roll do musical me agradou muito. Conta a história dos últimos dias de Jesus antes da crucificação e, apesar de uma adaptação da história bíblica, não fala nenhuma heresia. Destaque para os agudos do Cristo, os graves profundos de Caifas, e o timbre hard rock de Judas. O cenário é simples e moderno. A ambientação fica por conta da mudança de escada, figurino, e paineis eletrônicos. Ótima pedida!

***

Ah... Alguém aqui não sossegou enquanto não comprou mais M&M's mint. Não estamos achando nas Duanes daqui. Então, passamos no M&M's World para ver. Por pouco não subimos até o terceiro andar. Ainda bem que fomos. Lá, no último dos tubos coloridos, estavam os verdinhos de menta! Temos estoque agora!


quinta-feira, 15 de março de 2012

Um dia na Filadélfia



Esta quinta-feira passamos o dia na Filadélfia. Compramos as passagens antecipadas, ainda no Brasil. Fomos no trem das 9h30 e voltamos no das 19h40. Claro que nunca é suficiente para conhecer tudo, mas conseguimos dar uma geral na cidade. Não deu para ir nos museus, mas passamos por vários pontos da cidade. Usamos o Big Bus Tours para poupar um pouco a sola do tênis e nossos pés!



***
Claro, Panderkats fez fotos com a estátua do Rocky e subindo a escadaria do Museu de Arte, também conhecida como Rocky Steps - por conta daquela cena em que ele sobe correndo durante um treinamento, em algum dos filmes.

Agora em movimento - e sem edição:

video




***
Descobrimos um M&M's de menta na The Bourse - num minishopping na área do Independence Hall. BOM!!


***
Por hoje é só, Pe-Pessoal!

High Line Park e Top Of The Rock

Vista do High Line
Na quarta-feira, fomos finalmente conhecer o High Line Park. O dia estava bonito, com céu azul e sol, então o passeio foi muito agradável! Para quem trabalha na região, o lugar é uma opção de paradinha para almoço ou para um descanso. E para os turistas é uma maneira diferente que ver aquela área. Talvez os moradores dos prédios em frente é que não tenham gostado muito, pois a privacidade foi pro brejo. Mas, pelo visto, tem gente que tá levando com bom humor (foto abaixo).



***
E no fim da tarde, subimos no Top Of The Rock! Muito impressionante! Ficamos lá até escurecer!



quarta-feira, 14 de março de 2012

Quebrei o Panderkats de novo

Quando entro no computador de manhã, em viagem, é apenas para ver o endereço de algum lugar, o preço de alguma entrada, essas coisas. Já fiz isso. Mas aproveitei e vim aqui no blog para passar um pouco o tempo, já que eu não consigo fazer  o panderkats levantar. Quebrei ele de novo - imagina o estado dele amanhã de noite, depois que voltarmos  da Filadélfia. É isso. Vou aqui terminar de me arrumar pra sair e continuar tentando tirá-lo da cama. Também não o culpo: a cama tá boa pra caramba!!

terça-feira, 13 de março de 2012

9/11 memorial e otras cositas

Hoje passeamos de bus até Downtown para dar uma descansada nas pernas. Lá, fomos visitar o 9/11 memorial. Depois de passar praticamente dentro do canteiro de obras e pela segurança com raio-x e detector de metal você chega na área onde ficavam as torres gêmeas. É impressionante o tamanho do lugar. Pena não ter conhecido na época em que estavam lá.



Para entrar, é preciso pegar um passe de visitante numa banquinha em frente ao memorial provisório que fica do lado do canteiro e fazer uma doação. Depois, você segue o caminho em setas desenhadas no próprio tapume que cerca da obra.

***

O dia hoje começou cinzento e frio. Depois das 14h, o sol chegou e esquentou um pouco!Delícia!

***
Além de gostoso, inteligente!
No almoço, provei o Strawberry Lemonade do Prêt a Manger. Aprovado! Adoro uma bebida cor de rosa! hehehe! E também comi um brownie com castanhas bem bom! 

***

Depois do passeio histórico, uma passadinha na Century 21, que fica do lado do Ground Zero. E lá se foram mais alguns dólares. Ainda bem que foi tudo uma pechincha! Panderkats se deu melhor. Dessa vez eu não achei nenhum relógio bonitinho pra mim. Já ele...
Ah... e uns chocolatinhos Godiva.
Não provamos ainda... depois contamos!


***

Pra compensar, passagem mulherzinha na Macys e na Victoria Secret! Creminhos, blush e perfuminho. Ainda falta uma passadinha na Sacks! Mas também teve momento bolinha, na GameStop.

***

A gente pretendia ir no Top Of The Rock hoje no fim da tarde, mas o bagaço era tanto, que compramos nossos lanchinhos da noite e viemos pro hotel. Hora de recuperar as perninhas. Amanhã tem mais!

***

E ontem, esqueci de contar, mas o motorista do bus que leva até o outlet foi daqui até lá falando dos pontos turísticos, melhores ângulos para fotos, números etc.

E achei essa belezinha na Duane. M&Ms Dark Chocolate!!

Fofa, né?


Eu gostei!! Bem gostoso e não muito doce!!





segunda-feira, 12 de março de 2012

Dia de comprinhas!

Hoje foi um dia de poucas fotos, mas algumas comprinhas. Fomos no Woodbury outlet para ver as pechinchas. Eu sempre acho que vale a pena. E olha que a gente nem compra tanto assim. Vamos lá. O destaque desta vez vai para uma jaqueta/blaser jeans da Esprit que saiu por US$ 15. Inicialmente ele custava 79. Estava sendo vendida por 29, mas hoje tinha 50% de desconto. Além disso, umas blusinhas fofas saíram por US$ 5 cada.
Voltando das comprinhas


Aproveitei pra renovar as calças jeans: Tommy Hillfiger e Calvin Klein, barratinhas, barratinhas! E como vestem bem! Panderkats conseguiu umas camisas (T-shirt) legais da Puma e da Addidas.

***

Na fila de espera pelo ônibus que nos trouxe de volta - o outlet fica numa cidade vizinha - um cidadão teimava em não respeitar a distância mínima pedida em filas e irritou o Panderkats. Tudo bem que ele tá ficando velho e impaciente, mas isso é abuso, né? As pessoas andam muito sem noção. E esse nem era brasileiro. Parecia italiano.

***
Na chegada a Manhattan, trânsito mostro. Ficamos uma hora pra fazer um percurso micro. Ah! E como é tumultuada a entrada do terminal rodoviário por volta das 18h. Quase fomos carregados quando saíamos de lá!
 
***
Segundo dia sem frigobar no hotel. Chegamos domingo e não encontramos o dito cujo. Tudo bem que não ajuda muito porque é daqueles com sensor. Então, nem dá pra tirar as coisas do hotel e colocar as nossas pra gelar. Só deve ter espaço extra pra uma garrafinha, mas já é alguma coisa. Hoje perguntanos na recepção e parece que deveria haver (aliàs, claro, era o que dizia no site). Fomos na rua e voltamos e nada. Saímos logo em seguida, perguntamos de novo. Disseram que iam resolver. Quando chegamos agora de noite, havia duas garrafas de vinho sobre a mesa e nada de frigobar. Vamos aguardar as cenas dos próximos capitulos. Prefiro que me deem desconto na diária. Chego exausta de tanto andar, se beber vinho aí que não consigo caminhar mesmo. 

***
Como toca sirene nesse cidade!

domingo, 11 de março de 2012

Na Big Apple again!

É... por pouco não dei pulinhos na rua hoje quando comecei a caminhar por NY.  Agora é assim: bobeou, a gente pimba - voa pra Big Apple de novo! Ô lugar legal!

Então tá. Não prometo nada, mas vou tentar atualizar um pouco cada dia!

Pra começar, um pouco do voo e do nosso primeiro dia aqui.

No aeroporto, tudo tranquilo. Check in feito em 5 minutos, zero fila, assentos marcados direitinho. Pra compensar, uma fila quilométrica para a Polícia Federal. Mas esse nem era o problema, uma vez que chegamos cedo e estávamos sem pressa. Mas uma pessoa sem noção ficava fazendo barulho com a língua e se colava nas costas do Tim. Foi assim durante um bom pedaço da fila. Até que uma hora ele disse que ela podia passar a nossa frente. A tia não entendeu nada, mas aceitou, claro. Acho até que o voo dela era mais cedo e ela realmente estava tensa, mas meio metro de distância é o mínimo exigido, né? Na escola, lembro, era a distância de um braço esticado.

***

Na sala de embarque, lá pelas tantas, uma louca conversava aos berros com a filha (pelo menos parecia) sobre traição de maridos e etc. Todo mundo que tava perto ficou sabendo, sem querer, que o marido dela dorme com umas 10 mulheres diferentes. Gente, desculpa, mas não podia perder a chance de espalhar isso.
:-O

***

O voo é sempre uma parte meio chata mesmo. Tudo correu bem, apesar de umas turbulências em alguns momentos. Mas nada tenso. Dessa vez nós estávamos tão cansados que até conseguimos dormir mais. Eu, que costumo ver pelo menos dois filmes, só vi um: Coco, antes de Chanel (acho que é esse o nome). Panderkats nem isso. 

***

Depois de 10 horas de viagem, chegamos. Inacreditavelmente a fila para a imigração estava pequena!!! Em pouco tempo já estávamos pegando a mala. Essa que demorou. Mas chegou!

***
Elefante equilibrista na Union Square

Já no hotel, nem precisamos deixar as malas no saguão até a hora do check in. O quarto já estava disponível. Deixamos a mala e lá fomos nós bater perna! Almocinho básico no Starbucks: eu, uma quiche mediterrânea (bem boa, por sinal), e o Tim um sanduiche de peito de peru e mais alguma coisa. Um torta Oreo para finalizar. Flanamos um tantão até darmos de cara com esse elefantinho da foto. Aproveitamos e paramos para um lanche no Au Bon Pain. Não dá pra rejeitar um croissant de chocolate, não é mesmo? Provei uma bebida orgânica de chá verde com mel, mas não gostei. Flanamos um tanto mais e, antes de voltar para o hotel (mais cedo do que gostaríamos, mas o cansaço já não nos permitia mais caminhar), compramos nosso jantar no Prêt à Manger. To go. Comemos no hotel, depois de um bom banho!

***
Chrysler building

Dia lindo de sol e vento frio!

Temperatura de hoje: Manhã: 3 C. Tarde: 10 - 11C. Noite: 4C.

***

Acho que domingo é o dia de levar os cachorrinhos para passear. Vimos váááários!